quinta-feira, 9 de julho de 2020

Concurso Receita Federal 2021: órgão confirma novo pedido para 3.360 vagas



Concurso Receita Federal 2021: órgão confirma pedido para 3.360 vagas! Até R$ 21 mil


As oportunidades são para candidatos com níveis médio e superior, com iniciais que chegam a até R$ 21.029,09

A expectativa pela abertura de um novo edital de concurso público (Concurso Receita Federal 2021) é grande. O órgão confirmou que enviou ao Ministério da Economia um novo pedido de autorização para preenchimento de nada menos que 3.360 vagas em diversos cargos.
De acordo com o órgão, a solicitação do Concurso Receita Federal 2021 foi feita dentro do prazo, ou seja, até 31 de maio. A ideia é que o certame tenha recursos previstos no orçamento federal de 2021.
As oportunidades são para candidatos com níveis médio e superior, com iniciais que chegam a até R$ 21.029,09.
O pedido do concurso para áreas tributária e aduaneira visa o preenchimento de 2.050 vagas. Foram 550 para a carreira de auditor-fiscal da Receita Federal do Brasil e 1.500 para analista-tributário da Receita Federal do Brasil.
O candidato aprovado no cargo de Analista no concurso Receita Federal 2021 fará jus a uma remuneração inicial de R$ 11.684,39, enquanto a carreira de Auditor conta com inicial de R$ 21.029,09.
Além das vagas para analista e auditor, a solicitação também conta com preenchimento de vagas em cargos da área administrativa. Foram pleiteadas 1.000 vagas para assistente técnico administrativo, 270 para analista técnico administrativo, 4 para arquiteto e 16 para engenheiros e 20 para contador.
O cargo de Assistente Técnico Administrativo, de nível médio, tem salário inicial de R$ 4.137,97. Já o cargo de analista técnico administrativo,de nível superior, a remuneração inicial é de R$ 5.490,09. Para arquitetos, engenheiros e contadores, todos com exigência de nível superior, os salários ainda serão confirmados.


Concurso Receita Federal 2021

O secretário de gestão e desempenho de pessoal, Wagner Lenhart, em entrevista ao jornal O Dia, falou sobre autorizações de concursos federais, previstas na Lei de Diretrizes Orçamentárias (LDO) para 2020, e destacou a prioridade para reposição de pessoal nas áreas Jurídica, de Tecnologia da Informação (TI) e de Receita.
De acordo com o secretário, as contratações de servidores serão em casos excepcionais, em funções estratégicas. O secretário, vinculado ao Ministério da Economia, revelou que os demais cargos vagos serão substituídos por digitalização.
De acordo com o secretário do Tesouro Nacional, Mansueto Almeida, para equilibrar as contas da União, será necessária a revisão de gastos obrigatórios, como despesas com servidores. Além disso, é necessário estabelecer uma política de contratação do serviço público.
“Para mudar isso, não pode ter reajuste para servidor e tem de ter menos concurso público. É a mesma coisa que foi feita na segunda metade dos anos 1990”, disse Almeida, em entrevista ao jornal O Globo.
Essa política, na visão do secretário do Tesouro Nacional, deverá ser adotada nos três primeiros anos após a reforma da Previdência.
Os secretários ainda falaram que não há espaço no orçamento para aumento com as despesas de folha salarial. “Isso é uma deliberação que a Casa Civil e o presidente realizam. Nossa recomendação técnica, e não é só nossa, é da Secretaria de Orçamento e Finanças, é de que não haja reajustes ano que vem por falta de recursos”, disse o secretário Wagner Lenhart.
(A solução será uma reforma na contratação de servidores federais. A admissão será com salários menores e com novos planos de carreira, de modo que os funcionários não atinjam o teto com facilidade e em poucos anos. “Todo mundo vai ter que fazer isso, inclusive a Justiça”, defendeu o titular da pasta.)


Último Concurso da Receita Federal

O último concurso Receita Federal realizado para área de apoio, função de assistente técnico-administrativo do Ministério da Fazenda aconteceu em 2014. Foram 263.770 inscritos para as 1.026 vagas  oferecidas, representando uma média de 257 candidatos por vaga).
Ademais, na época foram oferecidas 1.026 vagas, em que os inscritos foram avaliados por meio de provas objetivas.
Foram cobradas questões de Língua Portuguesa, Matemática e Raciocínio Lógico, Conhecimentos de Informática, Atualidades, Gestão de Pessoas e do Atendimento ao Público, Ética do Servidor na Administração Pública, Administração Pública Brasileira e Regime Jurídico dos Agentes Públicos.
Para nível superior, cargo de auditor, o último certame também aconteceu 2014, com provas sobre Língua Portuguesa, Espanhol ou Inglês, Raciocínio Lógico-Quantitativo, Administração Geral e Pública, Direito Constitucional, Direito Administrativo, Direito Tributário, Auditoria, Contabilidade Geral e Avançada, Legislação Tributária e Comércio Internacional e Legislação Aduaneira. Em todo o país, houve 68.550 inscritos para 278 vagas (247 candidatos por vaga).
Por fim, cargo de analista, também com requisito de nível superior, o certame foi realizado em 2012. As questões foram sobre Língua Portuguesa, Espanhol ou Inglês, Raciocínio Lógico-Quantitativo, Direito Constitucional e Administrativo e Administração Geral.
Além disso, foram cobradas questões de Direito Tributário, Contabilidade Geral, Legislação Tributária e Aduaneira (área Geral) ou Direito Tributário, Contabilidade Geral e Informática (área de Informática).
Foram registrados 93.692 inscritos para 750 vagas (média de 125 por vaga).

Sobre a Receita Federal

A Secretaria da Receita Federal do Brasil é um órgão específico, singular, subordinado ao Ministério da Fazenda, exercendo funções essenciais para que o Estado possa cumprir seus objetivos.
O órgão é responsável pela administração dos tributos de competência da União, inclusive os previdenciários, e aqueles incidentes sobre o comércio exterior, abrangendo parte significativa das contribuições sociais do País.
Também subsidia o Poder Executivo Federal na formulação da política tributária brasileira, previne e combate a sonegação fiscal, o contrabando, o descaminho, a pirataria, a fraude comercial.
Além disso, o órgão previne e combate o tráfico de drogas e de animais em extinção e outros atos ilícitos relacionados ao comércio internacional.



quinta-feira, 2 de julho de 2020

Concurso PCDF: SAIU edital com 1.800 vagas!



Concurso PCDF tem remuneração de R$ 8.698,78. Inscrições a partir de 18 de agosto!

O concurso PCDF oferecerá 600 vagas imediatas e 1200 de cadastro reserva! - Foto: Agência Brasil/ Marcelo Camargo
Foi divulgado o edital n° 01/2020 do concurso PCDF! O certame oferecerá 1.800 vagas para Agente da Polícia Civil sendo que 600 são de início imediato e ainda terá formação de cadastro reserva (1.200 vagas). Estes números correspondem ao maior quantitativo na história da categoria. Nenhum outro concurso PCDF contemplou tantas oportunidades de uma só vez.
Os aprovados serão contratados para trabalharem na Polícia Civil do Distrito Federal (PCDF) sob regime estatutário.
A banca organizadora do certame será o Cespe/Cebraspe.

Detalhes das vagas

Como informado, o concurso PCDF terá 600 vagas imediatas, que serão divididas da seguinte maneira:
Ampla concorrênciaPessoas com deficiênciaNegros
45030120

Além disso, haverá mais 1.200 oportunidades em cadastro reserva. Os candidatos classificados irão receber remunerações iniciais de R$ 8.698,78 (Terceira Classe). E os benefícios? Todos os servidores da Polícia Civil do Distrito Federal têm direito a:
  • Auxílio-alimentação no valor de R$ 458,00;
  • Auxílio-saúde por meio da Policlínica da PCDF no valor de R$ 100,00 por membro da família.

Concurso PCDF para Agente da Polícia: requisitos

Quer ingressar na disputa? O primeiro passo é identificar se o seu nível de escolaridade é compatível com os requisitos mínimos para o cargo de Agente da Polícia.
Somente são classificados aqueles que concluíram curso de nível superior em qualquer área e tenham pelo menos 18 anos de idade. Também se faz necessário ter CNH na categoria “B” ou superior em plena validade.

O que faz um Agente da Polícia Civil DF?

Os profissionais realizam investigações de atos ou fatos que caracterizem infrações penais. Além disso, eles:
  • Auxiliam a autoridade policial no cumprimento das atividades de Polícia Civil;
  • Coordenam ou executam operações e ações de natureza policial ou de interesse de segurança pública;
  • Podem executar intimações, notificações ou quaisquer outras atividades julgadas necessárias ao esclarecimento de atos ou fatos sob investigações e outras atividades.

Como se inscrever no concurso PCDF

As inscrições do concurso PCDF devem ser feitas no site do Cespe/Cebraspe.
O período de registro começa às 10h do dia 18 de agosto e vai até às 18h de 08 de setembro de 2020 (horário de Brasília).
Será cobrada uma taxa de inscrição no valor de R$ 196,00.
Haverá isenção da taxa nos seguintes casos:
  • Inscrito no CadÚnico;
  • Doador de medula óssea (isenção integral);
  • Doador de sangue;
  • Pessoa receber benefício de programa social, conforme a Lei Distrital nº 4.949/2012;
  • Prestação de serviço à Justiça Eleitoral;
  • Isenção parcial para doador de medula, conforme a Lei Distrital nº 5.968/2017;
  • Comissário ou Agente de Proteção da Infância e da Juventude, conforme a Lei Distrital nº 6.314/2019.

Etapas do concurso PCDF

O concurso PCDF é composto por sete etapas. São elas:
  • Prova objetiva;
  • Prova discursiva;
  • Exames biométricos e avaliação médica;
  • Prova de capacidade física;
  • Avaliação psicológica;
  • Sindicância de vida pregressa e investigação social;
  • Curso de Formação Profissional (CFP).

Provas Objetivas

As provas objetivas terão 120 questões em forma de itens. Os participantes deverão marcar se o item é certo (C) ou errado (E). As avaliações estão marcadas para o dia 18 de outubro de 2020 (data prevista). Confira as matérias que estarão presentes:
  • Língua Portuguesa;
  • Língua Inglesa;
  • Conhecimentos sobre o Distrito Federal;
  • Legislação;
  • Matemática e Raciocínio Lógico;
  • Noções de Direito Administrativo;
  • Noções de Direito Constitucional;
  • Noções de Direito Penal;
  • Noções de Direito Processual Penal;
  • Noções de Direitos Humanos;
  • Informática;
  • Estatística;
  • Contabilidade.

Prova discursiva

A prova discursiva valerá 30 pontos. Nela, o candidato deverá fazer uma redação sobre um tema definido pela banca organizadora. De acordo com o edital, será cobrado atualidades. Será realizada no mesmo dia da prova objetiva.

Exames biométricos e avaliação médica

Esta etapa será realizada por uma junta médica da banca organizadora. Nela serão feitos exames laboratoriais e biométricos para saber se o concurseiro possui saúde adequada para seguir uma carreira na Polícia Civil.

Prova de capacidade física

teste físico é composto por:
  1. Teste de corrida de 12 minutos;
  2. Teste de barra fixa;
  3. Teste de flexão abdominal;
  4. Teste de meio-sugado, exigido a critério da Escola Superior da Polícia Civil do Distrito Federal;
  5. Teste de natação, exigido a critério da Escola Superior da Polícia Civil do Distrito Federal;
  6. Corrida de ir e vir (Shuttle Run), exigido a critério da Escola Superior da Polícia Civil do Distrito Federal.

Avaliação psicológica

A avaliação psicológica irá constatar a saúde mental do participante e se ele está apto a fazer parte da Polícia Civil. Um profissional da área será o responsável por fazer a avaliação dos candidatos.

Sindicância da vida pregressa e investigação social

Nesta fase, serão analisados os atos dos candidatos durante sua vida. É preciso que o indivíduo não tenha passagem pela polícia ou problemas com a lei e conduta considerada ilibada.

Curso de Formação Profissional

O Curso de Formação Profissional (CFP) é a última etapa do certame e terá carga horária de 368 horas presenciais, em tempo integral. O curso é ministrado pela própria Polícia Civil e suas atividades podem ocorrer durante finais de semana e feriado caso seja necessário.

Edital completo

O edital pode ser lido no endereço eletrônico da banca organizadora ou no site do Diário Oficial do Distrito Federal, na publicação do dia 01 de julho de 2020, a partir da página 34.




MATÉRIA DO SITE: www.concursosnobrasil.com.br 
Por Carlos Rocha

sexta-feira, 26 de junho de 2020



Concurso Anatel: edital com 333 vagas pode sair em novembro de 2020

Concurso Anatel espera autorização do governo para iniciar os trâmites do novo certame. Confira novidades recebidas em primeira mão pelo Concursos no Brasil.

Temos boas notícias para quem está aguardando o concurso Anatel 2020! A Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel) solicitou ao Ministério da Economia a realização de um novo certame para preencher o déficit de 333 vagas em seu quadro de servidores públicos.
O último concurso realizado pelo órgão foi em 2014. Portanto, no momento, não há certame em vigência, sendo que existe a necessidade de contratação urgente.
De acordo com informações da Anatel enviadas em primeira mão ao Concursos no Brasil, se o novo concurso for aprovado, as provas serão realizadas em 21 de janeiro de 2021 (data prevista e sujeita a alterações)!
Os concursos da Anatel costumam oferecer vagas para níveis médio e superior em diversas áreas, além de possuírem remunerações iniciais altas em relação à maioria dos outros certames. Por isso, costuma ter uma grande concorrência e expectativa para seu lançamento.

Situação atual do concurso Anatel

A Anatel solicitou ao Ministério da Economia a realização de um novo concurso com 333 vagas. O pedido foi formalizado no dia 28 de maio de 2020. Nele, a Agência informa a necessidade de novos servidores.
"Atualmente, o quadro de pessoal possui 1.357 (um mil trezentos e cinquenta e sete) servidores ocupantes de cargo efetivo, enquanto o referido diploma legal prevê o quantitativo de 1.690 (um mil seiscentos e noventa) servidores", informa o documento.
O pedido pretende contemplar vagas para Especialistas em Regulação, Analista-administrativo, Técnico em Regulação e Técnico-Administrativo. Confira na tabela abaixo a distribuição das oportunidades:
CargosVagas solicitadas
cnico-administrativo99
Técnico em Regulação de Serviços Públicos de Telecomunicações84
Analista Administrativo46
Especialista em Regulação de Serviços Públicos de Telecomunicações104
Ainda dentro do contexto do pedido do novo concurso Anatel, a Agência fala sobre os possíveis gastos do certame e evidencia que eles já estão dentro do orçamento.
"O saldo financeiro da Anatel na fonte de recursos para custeio dessas despesas atualmente é de R$ 3,9 bilhões, já deduzido o valor total das dessas despesas para o exercício de 2020. A média dos últimos 4 anos com as despesas de pessoal da Agência foi R$ 382,4 milhões. Assim, verifica-se que o pedido não incorrerá em acréscimo financeiro para o Tesouro Nacional", ressalta o documento assinado pelo presidente da Anatel, Leonardo Euler de Morais.
É válido ressaltar que o Ministério da Economia precisa aprovar a solicitação para que o concurso tome forma. Para ler o documento de solicitação na íntegra, entre no site da Anatel. Em seguida, coloque o código verificador 5597611 e o código CRC A760BE4C.
Existe a expectativa de que, caso haja aprovação do governo federal, o edital concurso Anatel seja liberado no final de 2020. É preciso lembrar que em 2018, a Anatel já havia enviado uma solicitação para o governo, mas o pedido na época foi recusado.

Concurso Anatel: cronograma previsto em caso de aprovação

Entramos em contato com a Anatel para pedir mais detalhes a respeito do pedido feito para o novo concurso.
A Agência nos respondeu em primeira mão confirmando o pedido e o número de vagas. Além disso, nos informou o cronograma previsto em caso de aprovação. Confira um trecho da resposta dada ao Concursos no Brasil:

Remuneração e benefícios

Confira a remuneração e os benefícios dos cargos de servidores da Anatel:

Quanto ganha um Técnico-administrativo?

Um Técnico-administrativo ganha R$ 7.016,67 ao ser contratado. Porém, os valores podem chegar a R$ 9.123,26.

Quanto ganha um Técnico em Regulação de Serviços Públicos de Telecomunicações?

A remuneração inicial do Técnico em Regulação de Serviços Públicos de Telecomunicações da Anatel é de R$ 7.388,37 e, com o passar dos anos, podem ser incrementadas até R$ 9.123,26.

Quanto ganha um Analista Administrativo?

Um Analista Administrativo da Anatel recebe R$ 13.807,57 por mês. Porém, dependendo do desenvolvimento do serviço, pode ganhar até R$ 19.541,88

Quanto recebe um Especialista em Regulação de Serviços Públicos de Telecomunicações?

A remuneração quando contratado é de R$ 15.058,12. Entretanto, pode chegar a R$ 19.541,88.
Todos os cargos ainda recebem auxílio-alimentação no valor de R$ 458,00.

Atribuições dos cargos na Anatel

Descubra quais são as funções de cada um dos profissionais que trabalham na Anatel:

O que faz um Técnico-administrativo da Anatel?

As atribuições do Técnico-administrativo são exercer tarefas consideradas de nível intermediário voltadas para a execução de atividades administrativas e logísticas relativas ao exercício das competências constitucionais e legais a cargo da Anatel. Para concorrer, é exigido ensino médio completo.

Qual a função de um Técnico em Regulação de Serviços Públicos de Telecomunicações?

Exercer atividades de nível intermediário voltadas ao suporte e apoio técnico especializado às atividades de regulação, inspeção, fiscalização e controle da prestação de serviços públicos e de exploração de mercados nas áreas de telecomunicações, bem como à implementação de políticas e à realização de estudos e pesquisas respectivos a essas atividades. É preciso ter nível médio, pelo menos.

O que faz um Analista Administrativo da Anatel?

O Analista Administrativo tem como função tarefas consideradas de elevada complexidade e responsabilidade, voltadas para o exercício de atividades administrativas e logísticas relativas ao exercício das competências constitucionais e legais a cargo da Anatel.
É necessário ter nível superior em alguns dos cursos na sequência: Administração, Direito, Engenharia Civil, Engenharia de Redes, Ciência da Computação, Tecnólogo em Processamento de Dados, Análise de Sistemas, Engenharia de Telecomunicações, Engenharia Elétrica, Engenharia Eletrônica, Engenharia Mecatrônica e Engenharia Mecânica.

Qual o trabalho de um Especialista em Regulação de Serviços Públicos de Telecomunicações?

Tarefas voltadas às atividades especializadas de regulação, inspeção, fiscalização e controle da prestação de serviços públicos e de exploração de mercados nas áreas de telecomunicações, bem como à implementação de políticas e à realização de estudos e pesquisas.
Para concorrer, é necessário possuir nível superior em um dos cursos a seguir: Ciências Contábeis, Economia, Engenharia Elétrica ou Engenharia Eletrônica ou Telecomunicações, Estatística, Matemática e Direito.

Último concurso Anatel

O último concurso Anatel aconteceu em 2014 e foi organizado pelo Cespe/UnB. O certame ofereceu 100 vagas de início imediato para cargos de níveis médio e superior.
De acordo com o edital n° 01/2014, os aprovados trabalhariam na cidade de Brasília, conforme as necessidades da Agência. A remuneração variava de R$ 5.418,25 a R$ 11.403,90.
As 32 vagas de nível médio ou técnico foram distribuídas assim: Técnico-administrativo, nas especialidades: Administrativo, Comunicação e Técnico em Regulação de Serviços Públicos de Telecomunicações.
As outras 68 oportunidades de nível superior foram distribuídas entre: Analista Administrativo e Especialista em Regulação de Serviços Públicos de Telecomunicações.
As taxas de inscrição, naquela época, iam de R$ 50,00 a R$ 100,00, dependendo do nível do cargo pretendido.

Etapas do concurso Anatel 2014

  • Prova objetiva contou com 120 questões;
  • Prova discursiva (nível superior);
  • Prova de títulos (apenas nível superior);
  • Curso de Formação Profissional fornecido pela Anatel (apenas nível superior).

O que estudar para as provas

Veja as matérias que costumam cair no concurso.
  • Língua Portuguesa;
  • Língua Inglesa;
  • Agências Reguladoras;
  • Conhecimentos Específicos (varia de acordo com o cargo e a especialidade).

MATÉRIA DO SITE: www.concursosnobrasil.com.br 
Por Carlos Rocha

segunda-feira, 15 de junho de 2020

CONCURSO REGIONALIZADO PARA AUDITOR-FISCAL E ANALISTA TRIBUTÁRIO – RECEITA FEDERAL





CONCURSO REGIONALIZADO PARA AUDITOR-FISCAL E ANALISTA TRIBUTÁRIO – RECEITA FEDERAL


Um dos grandes medos dos concurseiros do Brasil é que o próximo concurso da Receita Federal, para os cargos de Auditor Fiscal e Analista Tributário, seja com vagas regionalizadas.
Se você não sabe o que é um concurso regionalizado, vamos transcorrer sobre o tema nesta postagem.
Antes de tudo, cabe você saber que, atualmente, a Receita Federal está dividida, administrativamente, em dez Regiões Fiscais.

Há um projeto para que a quantidade de Regiões Fiscais seja reduzida pela metade.
Mas qual impacto do concurso Regionalizado para os concurseiros da Receita Federal?

Não é o que candidatos querem, concurso?
O grande problema de haver um concurso Regionalizado é o impacto nos números de vagas.
Imagine a seguinte situação: a Casa Civil autoriza a Receita Federal fazer concurso para preenchimento de 600 vagas para Auditor Fiscal.
Na mesma situação hipotética, o Secretário determina, pelo grau de lotação do órgão, que estas vagas sejam divididas entre as 10 Regiões Fiscais.
Com isso, abre o edital com 60 vagas em cada Região Fiscal da Receita Federal.  
Assim, o candidato deverá escolher umas das 10 Regiões Fiscais para concorrer às vagas. É uma situação muito diferente caso fosse um concurso Nacional.
No concurso Nacional, o candidato concorre ao total de vagas. Neste exemplo, 600 vagas estariam na disputa e não apenas 60 vagas.
O concurso Regionalizado gera uma discrepância de notas, pois um candidato é aprovado com uma nota menor que outro, devido às vagas da Região Fiscal escolhida. Este fato não ocorre no concurso Nacional.
Mas por que a Receita Federal faria um concurso Regionalizado?
Você vai conseguir entender a visão do órgão.
Há muita vacância (saída) e pouca posse (entrada) de servidores no órgão. Com isso, cada vaga é muito bem vinda ao concurso. Aí, vamos supor que no concurso Nacional os aprovados não queiram tomar posse, pois foram classificados em uma cidade muito longe dos centros regionais? Por exemplo, cidades da Região Norte ou Região de fronteira do Brasil com outros países.
A Receita Federal perde estas vagas. Só poderia preencher num próximo concurso.

Com o concurso regionalizado, o candidato já se predispõe a se deslocar caso seja aprovado, pois escolhe para qual Região quer trabalhar no caso de aprovação no concurso.
Conseguir entender a lógica?
Concurso Regionalizado foi uma prática muito comum no órgão no passado recente. Os últimos concursos ocorreram em 2005 para Auditor-Fiscal e 2006 para Analista Tributário.
Por isso, não descartamos a retomada desta possibilidade, pois o grau de lotação de servidores na Receita Federal está “quase no volume morto”. E o órgão em pouco tempo vai parar de atender em algumas unidades pela falta de pessoal.

Mas o que você precisa fazer caso haja um concurso Regionalizado?
Estar muito bem preparado e ser aprovado, pois você só precisa de uma vaga.
Mas se você tem interesse em ser o próximo aprovado na Receita Federal e não está evoluindo nos estudos, conheça o projeto de Orientação e Suporte em concurso público da Oficina da Aprovação. Com a equipe da Oficina, você recebe o passo a passo até a prova.

Acesse e conheça mais no link: https://oficinadaaprovacao.com.br/

Você terá um projeto individualizado configurado em uma plataforma de estudos inteligente.

Faça sua inscrição de forma gratuita e conheça a nossa plataforma de estudos no link: https://app.oficinadaaprovacao.com.br/inicio/login

Acredito que tenhamos te ajudado com estas informações.
Treinamento difícil, combate fácil!